DESTAQUE Pastor denuncia o ‘cristianismo cultural’ que distancia a Igreja das Escrituras

Adriano Oliveira 31/05/2021 Relatar Quero comentar

O pastor Jonathan Stockstill lançou recentemente seu primeiro livro e afirmou que o propósito é combater o que definiu como “cristianismo cultural”, uma versão da fé cristã sem compromisso com a Palavra de Deus que a cada dia se torna mais comum.

O livro  (“O Jesus Real – Desafiando o que você sabe sobre a maior pessoa que já viveu”, em tradução do inglês) é uma ferramenta que o autor pensou para combater o cristianismo cultural.

Jonathan, filho de pastor e agora ele próprio pastor líder de uma megaigreja, a Bethany Church em Baton Rouge, Louisiana (EUA), é um líder ministerial desde os 17 anos.

Desde 2011, ele abriu cinco novas filiais da igreja em todo o estado, criou uma faculdade mantida pelo ministério, chamada Bethany College, e fez parceria com o Surge Project para plantar 3.400 novas igrejas em todo o mundo.

Além de pastor e pai de quatro filhos, Jonathan também é um artista reconhecido internacionalmente, que gravou mais de 10 álbuns na temática louvor e adoração.

Confira abaixo a entrevista concedida pelo pastor, cantor e escritor falando sobre as diferenças entre o cristianismo cultural e o mandato bíblico de seguir a Cristo.

Comentário do usuário