Talibã vai executar cristãos de porta em porta, alerta relatório de organização cristã VEJA

dani 24/08/2021 Relatar Quero comentar

De acordo com um relatório da organização cristã missionária, Frontier Alliance International (FAI), divulgado no dia 17 de agosto, o Talibã tem uma lista com os nomes dos cristãos que eles pretendem perseguir e matar, no .

A “Declaração Oficial dos Líderes da Igreja Subterrânea”, citado como um “relatório de primeira mão” começa dizendo que “o que estamos testemunhando agora é a  do país e do povo do Afeganistão”, em especial os cristãos e aqueles que “traíram” o sistema do Talibã.

Na sequência declara que “o trabalho de vinte anos para fortalecimento de uma nação, foi destruído num único dia”. 

“A Embaixada dos Estados Unidos está extinta e não há mais um lugar seguro para os crentes se refugiarem. Todas as fronteiras com os países vizinhos estão fechadas e todos os voos comerciais foram interrompidos”, informa o documento.

“Todos estão na dependência de Deus”

“As pessoas estão fugindo para as montanhas em busca de asilo. Elas dependem totalmente de Deus, que é o único que pode e irá protegê-las”, continua o relatório.

Entre outras informações importantes, ressalta também que o Talibã está buscando mulheres e crianças de porta em porta. “As pessoas devem marcar sua casa com um ‘X’ se tiverem menina com mais de 12 anos, para que o Talibã possa levá-las”.

Caso alguma jovem for encontrada em alguma casa não marcada, como mandam as especificações dos terroristas, a família inteira será executada. Mulheres casadas, de 25 anos ou mais, serão vendidas como escravas sexuais e terão seus maridos executados.

A reação de maridos e pais foi dar armas às suas esposas e filhas, com as seguintes recomendações: “Quando o Talibã vier, vocês podem escolher entre matá-los ou se matar. Vocês decidem”.

Levando o Evangelho adiante

Um dos parceiros da FAI, a Global Catalytic Ministries (GCM), observou que, embora muitos estejam se refugiando nas colinas, há cristãos que decidiram ficar e continuar pregando o Evangelho, apesar dos perigos.

Por esse motivo, a GCM trabalha para realocar aqueles que precisam ser protegidos e se coloca em postura de constante oração. “A postura do GCM sempre foi e será a de fazer o que for necessário para levar o Evangelho adiante”, escreveu.

“Nossos irmãos e irmãs no Afeganistão continuam a nos inspirar com sua ousadia e determinação, e nos momentos mais sombrios”, continuou. Segundo a organização, há muitos líderes que trabalham para o crescimento da Igreja no Afeganistão dependendo das orações neste momento.

Perseguidos até a morte

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário