Evite ao máximo criticar, aconselhe

wrsi 09/10/2021 Relatar Quero comentar

Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós. E por que reparas tu no argueiro que está no olho do teu irmão, e não vês a trave que está no teu olho?

Ou como dirás a teu irmão: Deixa-me tirar o argueiro do teu olho, estando uma trave no teu? Hipócrita, tira primeiro a trave do teu olho, e então cuidarás em tirar o argueiro do olho do teu irmão. Mateus 7:1-5

A verdade é que não gostamos de ser criticados ou julgados. Isso porque muitas críticas recebidas são injustas ou provém de alguém que também julgamos desqualificado para nos julgar.

O julgamento ou crítica acaba resultando em um círculo vicioso de críticas e julgamentos, frutificando em desarmonias, inimizades, ódio, rancor, mágoas e todo tipo de sentimentos negativos.

Porque toda a lei se cumpre numa só palavra, nesta: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Se vós, porém, vos mordeis e devorais uns aos outros, vede não vos consumais também uns aos outros. Gálatas 5:14,15

Mas é certo que há momentos em que devemos falar para as pessoas sobre algo que pode sim estar prejudicando o relacionamento com Deus ou uns com os outros.

Em muitos momentos precisamos sim dizer às pessoas em como proceder ou sinalizar aquilo que não está sendo corretamente feito. Mas como fazer isso sem machucar? Como dizer a verdade sem ferir a identidade de alguém?

Não repreendas o escarnecedor, para que não te odeie; repreende o sábio, e ele te amará. Dá instrução ao sábio, e ele se fará mais sábio; ensina o justo e ele aumentará em entendimento. Provérbios 9:8,9

A Bíblia já nos mostra a quem devemos repreender: aquelas pessoas que acreditamos ser sábias. Mas não lidamos apenas com as pessoas que acreditamos ser sábias. Então, como agir?

Quando as circunstâncias impuserem a necessidade de criticar, concentre suas críticas na atitude da pessoa e não na identidade dela. As palavras devem ser direcionadas ao que a pessoa fez ou deixou de fazer e não no que ela é.

Mesmo assim, quando falar, use também a já citada técnica “sanduíche”, onde deve-se falar primeiro algo positivo, depois a crítica, de preferência de maneira indireta mas objetiva, e novamente trazer boas palavras, principalmente animadoras. Lembre-se que o importante como cristão é levar cada vez mais as pessoas com quem convive para mais próximas de Jesus.

Clique na segunda página para continuar navegando
Comentário do usuário